DOL - Dor On Line

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Universidade de Brasília - Campus de Ceilândia
Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto - USP
Faculdade de Farmácia - Universidade Federal da Bahia

Principal    |    Editoriais    |    Edições    |    Sobre a Dor    |    Glossário    |    Projeto DOL    |    Publicações    |    Contato

   
 

Alerta da edição mensal

 

 

As doses de opioide e o seu impacto na escala numérica de dor

Júlia Eduarda Batista de Almeida
 

O opioide é o medicamento comumente prescrito para o tratamento de dores crônicas nos Estados Unidos. Entretanto, inexistem evidências suficientes para orientar o clínico quanto ao aumento da dose de opioides.

 

Esse estudo de corte retrospectivo, executado com dados do prontuário eletrônico de outubro de 2008 a setembro de 2015, do Departamento de Assuntos dos Veteranos dos EUA, teve como objetivo avaliar a influência do aumento de dose do opioide sobre a intensidade da dor avaliada por Escala Numérica de Dor em pacientes com dores crônicas e uso também crônico de opioides.

 

Feito em dois períodos consecutivos de 180 dias, considerou-se o uso crônico de pelo menos 90 dias de uso de opioide dentro de um período e no segundo houve a avaliação da mudança de doses (data-índice). Divididos em dois grupos: doses fixas- menos de 20% de mudança na dose média diária de opioide - e doses crescentes - aumento de pelo menos 20%.

 

O total da amostra foi de 53,187 veteranos, sendo 61% do grupo de doses fixas e 39% de doses crescentes, majoritariamente homens com 50-64 anos. No grupo de doses crescentes houve diminuição significativa no escore da dor entre o primeiro e último períodos depois da data-índice, enquanto o grupo utilizando doses fixas a dor decresceu nos períodos antes e após a data-índice.

 

Portanto, os escores de dor foram persistentemente mais altos entre doses crescentes quando comparados ao grupo de doses fixas no período após a data-índice. Assim, os médicos devem avaliar cuidadosamente as necessidades de aumentar as doses de opioides.

 

É importante observar que o presente estudo trata de uma população com características peculiares e que estes dados não devem ser extrapolados para outras populações.

 

Referência: Hayes CJ, Krebs EE, Hudson T, Brown J, Chenghui L, Martin BC. Impact of opioid dose escalation on pain intensity: a retrospective cohort study. Pain J on 2020; 161(5): 979-88.

 

Alerta submetido em 12/06/2020 e aceito em 30/06/2020.