DOL - Dor On Line

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Universidade de Brasília - Campus de Ceilândia

Principal    |    Editoriais    |    Edições    |    Sobre a Dor    |    Glossário    |    Projeto DOL    |    Publicações    |    Contato

   
 

Alerta da edição mensal

 

 

Agonista seletivo do receptor canabinoide 1 periférico como novo analgésico para tratamento da dor óssea induzida por câncer

Amanda Paula M. da Costa

 

A dor óssea é uma condição comum em pacientes oncológicos ocasionada pela migração de células cancerosas até o tecido ósseo, provocando também enfraquecimento, alteração da integridade, fraturas, entre outras complicações. Essas dores em geral são tratadas com a administração de opioides, que são eficazes nos tratamentos de condições crônicas, mas para a DOIC há algumas desvantagens.

 

Em um estudo norte-americano, os autores relatam que o uso de opioides pode ser insuficiente para o manejo da dor em DOIC, piorar a integridade óssea, facilitar os processos de metástases, além das questões de desvio da medicação para uso indevido. Em contrapartida, apresenta um novo composto, PrNMI, agonista seletivo de receptores canabinoides do tipo I periféricos (CBRI), como alternativa analgésica para pacientes diagnosticados com câncer.

 

Dentre os testes utilizados, foram avaliadas a seletividade aos CBRI periféricos, a dor através de comportamentos característicos, os efeitos centrais, as alterações na integridade óssea e na viabilidade das células de câncer, entre outros, nos intervalos estabelecidos antes e depois da cirurgia, avaliando de forma aguda (com administração única do composto ou do veículo) e crônica (administração de doses no mesmo horário e em dias determinados ou do veículo). Apesar das limitações quanto a sua ação central, este composto promove analgesia robusta, permanência da integridade óssea e impossibilita a invasão celular cancerosa em modelo experimental em camundongos inoculados com células cancerosas no espaço intramedular femoral direito. Os testes de seletividade foram satisfatórios quanto a dissociação com efeitos psicotrópicos em comparação com agonistas não seletivos, podendo ser uma possibilidade de alternativa aos opioides no tratamento da DOIC. Porém, neste estudo não foram realizados controles utilizando opioides e outros fármacos.

 

Referências: Zhang H, Lund DM, Ciccone HA, Staatz WD, Ibrahim MM, Largent-Milnes TM, Seltzman HH, Spigelman I, Vanderah TW. Peripherally restricted cannabinoid 1 receptor agonist as a novel analgesic in cancer-induced bone pain. Pain. 2018; 159(9):1814-1823.

 

Alerta submetido em 20/10/2018 e aceito em 20/10/2018.

 


Leitura original e/ou complementar