DOL - Dor On Line

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Universidade de Brasília - Campus de Ceilândia

Principal    |    Editoriais    |    Edições    |    Sobre a Dor    |    Glossário    |    Projeto DOL    |    Publicações    |    Contato

   
 

Alerta da edição mensal

 

 

Influências culturais sobre as respostas dos pais à dor das crianças

Letícia Ferreira Américo

 

A cultura tem sido considerada como um fator relevante na experiência da dor em crianças e alguns estudos sugerem a influência dos valores culturais sobre os comportamentos parentais em resposta à dor infantil. Um estudo transversal foi realizado com cuidadores de crianças do Canadá, Islândia e Tailândia com objetivo de examinar a associação entre elementos culturais e os comportamentos parentais em resposta à dor infantil.

 

De modo geral, contextos culturais individualistas são inclinados a adotar estilos parentais autoritários, enquanto as sociedades coletivistas são propensas a adotar estilos parentais confiáveis.

 

Os achados demonstraram que em um contexto de dor, os cuidadores orientados pelo coletivismo e individualismo horizontal não competitivo adotaram estilos parentais confiáveis com comportamentos solícitos à dor da criança, enquanto os pais orientados pelo individualismo vertical competitivo adotaram o estilo autoritário com comportamentos predominantemente desencorajadores e algumas vezes solícitos em resposta à dor.

 

Investigadores da dor pediátrica consideram a solicitude como um comportamento instintivo dos cuidadores, porém este estudo demonstrou que este comportamento é expresso de formas distintas dependendo dos valores culturais e estilos parentais adotados, além disto esclareceu que a solicitude e o desencorajamento não são necessariamente auto excludentes, ou seja, os cuidadores podem responder à dor infantil com comportamentos solícitos e desencorajadores.

 

Este foi o primeiro estudo a examinar a associação entre estas variáveis utilizando amostras de 3 países, no entanto os resultados encontrados não podem ser generalizados devido às limitações geográficas e metodológicas.

 

Referências: Kristjansdottir O, McGrath P, Finley G, Kristjansdottir G, Siripul P, Mackinnon S et al. Cultural influences on parental responses to childrenʼs pain. PAIN. 2018; 159(10):2035-2049.

 

Alerta submetido em 09/11/2018 e aceito em 09/11/2018.

 


Leitura original e/ou complementar