DOL - Dor On Line

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Universidade de Brasília - Campus de Ceilândia
Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto - USP
Faculdade de Farmácia - Universidade Federal da Bahia

Principal    |    Editoriais    |    Edições    |    Sobre a Dor    |    Glossário    |    Projeto DOL    |    Publicações    |    Contato

   
 

Alerta da edição mensal

 

 

A dor corporal pode influenciar negativamente ou positivamente o IMC dependendo da idade entre os idosos

Maria Clara Alexandroni Cordova de Sousa

 

O Departamento de Psicologia da Ohio State University, situado em Columbus, Estados Unidos, conduziu uma pesquisa longitudinal sobre as relações bidirecionais entre o Índice de Massa Corporal (IMC) e dor, em 2021. Dentre os principais achados do artigo estão a percepção de que a dor pode contribuir para o aumento e a diminuição do IMC, dependendo da idade do idoso.

 

O estudo foi feito em uma amostra de 1.889 participantes entre 40 e 93 anos de idade, e consistiu em observar por 19 anos as alterações de dor e de IMC através de questionários e consultas presenciais. O resultado mais notável foi a constatação de que a dor causa um aumento do IMC até os 70 anos de idade, e após os 80 anos, passa a diminuir. Desta forma, concluiu-se que a natureza dessa relação entre dor corporal e IMC pode se alterar de acordo com a idade do indivíduo em idade mais avançada. Além disso, houve uma diferença entre os resultados dos homens e das mulheres, sendo que a partir dos 80 anos, a dor nos homens tende a estabilizar, enquanto a dor nas mulheres continua crescendo de forma linear.

 

A principal motivação do estudo foi a escassez de estudos longitudinais sobre esta temática. O artigo, entretanto, possui várias desvantagens, como a impossibilidade de calcular os resultados longitudinais de algum participante ao longo de toda a faixa etária, e a exclusão de algumas covariáveis como doença crônica, nível socioeconômico, uso de medicamentos e entre outros.

 

Na perspectiva clínica, essa pesquisa se mostra fundamental para reforçar a necessidade de monitoramento do IMC entre os adultos de meia-idade e idosos, principalmente entre as pessoas que já possuem dor nas articulações ou possuem um histórico na família. O estudo é de grande relevância para a melhora no tratamento da dor nas articulações, visto que o IMC é um importante fator influenciador na dor.

 

Referências: Emery CF, Finkel D, Dahl Aslan AK. Bidirectional associations between body mass and bodily pain among middle-aged and older adults. Pain. 2022 Oct;163(10):2061-2067. DOI: 10.1097/j.pain.0000000000002603

 

Alerta submetido em 04/11/2022 e aceito em 25/11/2022.