DOL - Dor On Line

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Universidade de Brasília - Campus de Ceilândia
Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto - USP
Faculdade de Farmácia - Universidade Federal da Bahia

Principal    |    Editoriais    |    Edições    |    Sobre a Dor    |    Glossário    |    Projeto DOL    |    Publicações    |    Contato

   
 

Alerta da edição mensal

 

 

Estresse oxidativo e fenótipos de dor crônica disfuncional

Isabela Godoy Simões

 

Um estudo conduzido nos Estados Unidos encontrou uma relação positiva entre o estresse oxidativo e a piora nos quadros de dor crônica disfuncional. Biomarcadores de estresse oxidativo aumentados resultam em inflamação, fibrose e apoptose celular, e têm sido associados a diversas condições patológicas, como a osteoartrite.

 

A pesquisa realizada com pacientes idosos com osteoartrite submetidos a cirurgia de artroplastia total do joelho, mediu os níveis dos biomarcadores de estresse isoprostanos e isofuranos por experimentos analíticos, e para a avaliação dos aspectos qualitativos da dor crônica utilizou de medidas validadas, como questionários, nos quais os pacientes descreviam o nível da dor percebida.

 

Concluiu-se que um aumento na concentração dos principais biomarcadores estudados está relacionado a piora nos níveis da dor no joelho, à presença de transtornos psiquiátricos, como depressão, além de se associar à dor mais disseminada e prevalente.

 

Referência: Bruehl S, Milne G, Schildcrout J, Shi Y, Anderson S, Shinar A, Polkowski G, Mishra P, Billings FT 4th. Oxidative stress is associated with characteristic features of the dysfunctional chronic pain phenotype. Pain. 2022 Apr 1;163(4):786-794. doi: 10.1097/j.pain.0000000000002429. PMID: 34382610; PMCID: PMC8807797

 

Alerta submetido em 07/03/2022 e aceito em 25/04/2022.