DOL - Dor On Line

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Universidade de Brasília - Campus de Ceilândia

Principal    |    Editoriais    |    Edições    |    Sobre a Dor    |    Glossário    |    Projeto DOL    |    Publicações    |    Contato

   
 

Alerta da edição mensal

 

 

Efeitos da fragmentação do sono na tolerância à dor e sensibilidade à dor em pacientes saudáveis

Alexandre Gomes de Macedo Maganin

 

A duração e qualidade do sono são fisiologicamente importantes, e capazes de modular a dor no sistema nervoso central. Sendo assim, estudos indicam que o sono perturbado ou interrompido, pode levar alterar a sensibilidade a dor em indivíduos saudáveis. Essas alterações levam a mudança de humor nos indivíduos, mas ainda a relação do humor com o sono e a dor ainda é pouco compreendida.

 

Indícios indicam que a restrição ao sono leva a redução no bem-estar emocional e induzir hiperalgesia musculares superficiais e profundas, além de aumentar a dor espontânea. Além disso, existe uma relação com o humor/afeto positivo e a redução de dor crônica em pacientes. Indicando que a restrição ao sono e mudanças de humor sejam importantes para a sensibilidade a dor.

 

Sabendo disso, um grupo de psicologia em parceria com hospital na Noruega, estudaram o efeito da privação de sono e alterações humorais no limiar de dor em 40 pacientes saudáveis durante 14 dias. Onde observaram que a privação ao sono levou ao aumento da intensidade a dor em estímulos frios, e com o passar do tempo a intensidade da dor encontrada nos pacientes aumentou em relação ao primeiro dia de testes. Relata também que adultos saudáveis que foram submetidos a uma noite de fragmentação experimental de sono relataram aumento da sensibilidade à dor muscular profunda e superficial, e essa sensibilidade aumenta conforme aumenta a restrição ao sono.

 

Concluindo que mesmo uma única noite de sono interrompido tem um impacto negativo na percepção da intensidade da dor, mas não na tolerância à dor ou na inibição da dor. Contudo induzir emoções negativas e positivas não parece moderar a relação entre dor e sono. Os mecanismos pelos quais a interrupção do sono afeta a sensibilidade à dor ainda são amplamente desconhecidos, o que reforça a necessidade de mais pesquisas.

 

Referência: Rosseland R, Pallesen S, Nordhus IH, Matre D, Blågestad T. Effects of Sleep Fragmentation and Induced Mood on Pain Tolerance and Pain Sensitivity in Young Healthy Adults. Front Psychol. 2018; 9:2089.

 

Alerta submetido em 20/11/2018 e aceito em 20/1/2018.

 


Leitura original e/ou complementar