DOL - Dor On Line

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Universidade de Brasília - Campus de Ceilândia
Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto - USP
Faculdade de Farmácia - Universidade Federal da Bahia

Principal    |    Editoriais    |    Edições    |    Sobre a Dor    |    Glossário    |    Projeto DOL    |    Publicações    |    Contato

   
 

Alerta da edição mensal

 

 

A influência da dor crônica na conectividade funcional cerebral

Kamila Gonçalves Tortorelli
 

Oito pesquisadores de diferentes universidades da Eslováquia e Alemanha verificam através deste experimento, que pacientes com dor lombar e enxaqueca, ambas as condições crônicas, possuem uma conectividade funcional singular e subjetiva entre as diferentes regiões cerebrais, quando considerado a intensidade da dor, não sendo assim possível definir um biomarcador comum para análise da dor crônica. Entretanto, reforçam-se os malefícios da dor crônica, de forma geral, para as funções corticais.

 

Neste estudo foram selecionados 40 pacientes, onde metade deste grupo, baseado nos fundamentos da International Association for the Study of Pain (IASP), foram diagnosticados com dor lombar crônica, e a outra metade, através dos critérios da Classificação Internacional de Cefaleias, 3ª edição, obtiveram o diagnóstico de enxaqueca crônica. Todos os participantes foram submetidos a quatro sessões de Ressonância Magnética Funcional (fMRI), com um espaço temporal mínimo de dois dias entre cada uma. Durante estas sessões, os pacientes foram orientados a sinalizar imediatamente na Escala Visual Analógica e Escala Visual Numérica, que estavam visíveis a todo o momento, as variações na intensidade da dor por meio de um controle deslizante. Após esta etapa, foram desenvolvidos mapas de conectividade funcional, tanto individuais quanto para cada grupo. O objetivo deste estudo foi identificar padrões de conectividade cerebral através da intensidade da dor crônica usando a abordagem de conectividade funcional de todo o cérebro.

 

Em suma, os achados deste estudo fortificam a subjetividade da percepção da dor, a relevância do desenvolvimento de planos terapêuticos personalizados para o paciente com dor crônica, e ressalva os prejuízos desta ao sistema funcional cognitivo do indivíduo.

 

Referência: Mayr A, Jahn P, Deak B, et al. Individually unique dynamics of cortical connectivity reflect the ongoing intensity of chronic pain. Pain. 2022;163(10):1987-1998. doi:10.1097/j.pain.0000000000002594

 

Alerta submetido em 04/11/2022 e aceito em 11/11/2022.