DOL - Dor On Line

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Universidade de Brasília - Campus de Ceilândia

Principal    |    Editoriais    |    Edições    |    Sobre a Dor    |    Glossário    |    Projeto DOL    |    Publicações    |    Contato

   
 

Alerta da edição mensal

 

 

Dor intensa em veteranos militares 

Andressa Daiane de Carvalho Zaparolli

 

Este estudo fornece estimativas nacionais da prevalência de veteranos militares dos Estados Unidos com dor severa, e compara veteranos com não veteranos da mesma idade e sexo. Os dados utilizados são da Pesquisa Nacional de Saúde de 2010 a 2014 com 67.696 adultos que completaram o Suplemento de Funcionamento e Deficiência de Adultos. Os participantes com dor intensa foram identificados utilizando um sistema validado de codificação da gravidade da dor. Estima-se que 65,5% dos veteranos militares dos EUA relataram dor nos últimos três meses, com 9,1% classificados como tendo dor intensa. Em comparação com os veteranos, uma relação menor de não veteranos relataram dor (56,4%) ou dor intensa (6,4%). Considerando que os veteranos com idades entre 18 e 39 anos apresentaram taxas de prevalência significativamente maiores de dor intensa (7,8%) do que os não veteranos de idade semelhante (3,2%), os veteranos com idade igual ou superior a 70 anos apresentaram menor probabilidade de apresentar dor severa (7,1%) do que não veteranos (9,6%). Os veteranos do sexo masculino (9,0%) apresentaram maior probabilidade de apresentar dor intensa do que os não veteranos também do sexo masculino (4,7%). Entretanto, não houve diferença estatisticamente significante entre os dois grupos femininos. A prevalência de dor intensa foi significativamente maior nos veteranos com dor lombar (21,6%), dor na mandíbula (37,5%), dores de cabeça severas ou enxaqueca (26,4%) e dor no pescoço (27,7%) que nos não veteranos com essas condições (respectivamente: 16,7%, 22,9%, 15,9% e 21,4%). Embora os veteranos (43,6%) tivessem maior probabilidade de apresentar dores nas articulações do que os não veteranos (31,5%), não houve diferença na prevalência de dor grave associada a essa condição.

 

Referência: Nahin RL. Severe Pain in Veterans: The Effect of Age and Sex, and Comparisons With the General Population. J Pain. 2017, 18(3):247-254.

 

Alerta submetido em 06/03/2017 e aceito em 07/03/2017.


Leitura original e/ou complementar