DOL - Dor On Line

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Universidade de Brasília - Campus de Ceilândia

Principal    |    Editoriais    |    Edições    |    Sobre a Dor    |    Glossário    |    Projeto DOL    |    Publicações    |    Contato

   
 

Alerta da edição mensal

 

 

Neurotoxicidade induzida pela cisplatina em gânglios da raiz dorsal: efeitos neuroprotetores da rosiglitazona

Miriam das Dores Mendes Fonseca

 

A neurotoxicidade é o principal efeito colateral limitador das terapias antitumorais, como cisplatina e paclitaxel, essa drogas podem afetar o sistema nervoso periférico, causando a conhecida neuropatia periférica induzida por quimioterapia (NPIQ). Existem muitas vias que podem induzir a neuroproteção, sendo uma delas a ativação do Receptor Ativado por Proliferador de Peroxissomo (PPAR), que já demonstrou ser neuroprotetor em muitas doenças neurodegenerativas, incluindo a doença de Alzheimer.

 

Para investigar o papel do PPAR na NPIQ, culturas primárias de gânglios da raiz dorsal (GRDs) de ratos wistar adultos, foram cultivadas e tratadas por 24 horas com cisplatina (3, 10 ou 30 μM), rosiglitazona (um agonista PPAR) e/ou T0070907 (antagonista do PPAR). Efeitos dependentes e independentes da ativação do PPAR induzido pela rosiglitazona na neurotoxicidade da cisplatina foram observados. Assim, o tratamento com rosiglitazona pode ser benéfico nos efeitos neurotóxicos da cisplatina.

 

Referência: Cisplatin–induced neurotoxicity in dorsal root ganglia: The rosiglitazone neuroprotective effects. Oliveira HR, Neves FAR, Duarte DB UnB. 51st Brazilian Congress of Pharmacology and Experimental Therapeutics, Brazil, Maceió, 24 a 27 de setembro de 2019.

 

 Alerta submetido em 06/12/2019 e aceito em 06/12/2019.