DOL - Dor On Line

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Universidade de Brasília - Campus de Ceilândia
Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto - USP
Faculdade de Farmácia - Universidade Federal da Bahia

Principal    |    Editoriais    |    Edições    |    Sobre a Dor    |    Glossário    |    Projeto DOL    |    Publicações    |    Contato

   
 

Alerta da edição mensal

 

 

Qualidade do atendimento - protocolo da assistência à dor abdominal em crianças

Luciana Santos Lago

 

Pesquisadores da Austrália, publicaram em novembro de 2019 um estudo documental com ênfase nas diretrizes e recomendações da prática clínica, apontando a relevância de 21 indicadores da qualidade assistencial para atendimento de crianças com dor abdominal aguda. Os indicadores foram divididos em três abordagens: história, exame físico e imagem. O estudo mostrou que houve variação considerável nos cuidados entre os grupos de indicadores, sendo uma adesão baixa dos profissionais para história e exame, e alta para imagem. Foram ainda identificadas lacunas na adesão geral dos indicadores, apontando a necessidade de maior conscientização dos profissionais sobre a importância do exame físico completo e avaliação dos sinais vitais, a fim de evitar diagnósticos errôneos de condições graves associadas a dor abdominal aguda pediátrica.

 

Desta forma, o estudo validou indicadores de qualidade no atendimento de dor abdominal em crianças, que podem auxiliar no estabelecimento de um protocolo simples que pode ser implementado no sistema público de saúde, melhorando a qualidade do atendimento e reduzindo gastos evitáveis em saúde. Além disso, um protocolo adequado, pode evitar a realização de exames de imagem desnecessários, reduzindo os riscos potenciais da radiação ionizante.

 

Referências: Zurynski Y, Churruca K, Arnolda G, et al. Quality of care for acute abdominal pain in children. BMJ Qual Saf 2020; 29: 509–516. http://dx.doi.org/10.1136/ bmjqs-2019-010088.

 

Alerta submetido em 20/05/2022 e aceito em 20/05/2022.