DOL - Dor On Line

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Universidade de Brasília - Campus de Ceilândia
Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto - USP
Faculdade de Farmácia - Universidade Federal da Bahia

Principal    |    Editoriais    |    Edições    |    Sobre a Dor    |    Glossário    |    Projeto DOL    |    Publicações    |    Contato

   
 

Alerta da edição mensal

 

 

Maior tolerância à dor provocada pelo uso de palavrões

Amanda Paula Mendonça da Costa

 

O uso de xingamentos mostrou-se benéfico ao aumentar a tolerância à dor. Teorias explicam esse efeito por ativação autonômica pelo estresse e emoção provocada, mas também por ativação de diferentes regiões cerebrais que reduzem a dor após desvio da atenção, ou seja, após uma distração que pode acontecer ao conhecer algo novo ou engraçado.

 

Dessa forma, este estudo inglês com 92 participantes avaliou o uso de um xingamento convencional “fuck”, dois novos xingamentos “fouch” e “twizipipe” e uma palavra neutra sobre limiar e tolerância à dor, testando relação com aspectos psicológicos como emoção, humor e distração, frequência cardíaca (testando a suposta ativação autonômica) e escore de percepção de dor, durante teste de mergulho da mão em água gelada, mantida em temperatura de 3 a 5 ºC.

 

A análise demonstrou que o limiar e a tolerância à dor (p= <0,001) era aumentado para a palavra “fuck” em relação àà palavra neutra. Porém, o mesmo não ocorreu para “fouch” e “twizipipe”; estes podem não gerar a mesma emoção que um xingamento convencional, uma vez que não remetem ao caráter punitivo de xingar na infância. As outras variáveis, percepção da dor e frequência cardíaca, não sofreram alterações pela pronúncia das palavras. Os aspectos emocionais também não foram considerados como mediadores para os efeitos analgésicos do uso de xingamentos.

 

Assim, apesar da maneira como xingar promove um certo alívio na dor não ter sido esclarecido, o estudo reafirma achados anteriores sobre os efeitos do uso de xingamentos aumentando tolerância à dor e apresenta uma nova descoberta ao também apresentar o aumento para limiar de dor. Contudo, os novos palavrões não exerceram a mesma resposta no limiar ou tolerância à dor, apesar de terem alterado a resposta emocional dos indivíduos ao dizê-las.

 

Referências: Stephens R, Robertson O. Swearing as a Response to Pain: Assessing Hypoalgesic Effects of Novel "Swear" Words. Front Psychol. 2020; 11:723.

 

Alerta submetido em 12/06/2020 e aceito em 16/062020.