DOL - Dor On Line

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Universidade de Brasília - Campus de Ceilândia

Principal    |    Editoriais    |    Edições    |    Sobre a Dor    |    Glossário    |    Projeto DOL    |    Publicações    |    Contato

   
 

Alerta da edição mensal

 


Canal iônico TRPV1 induz analgesia opioide durante inflamação

Larissa Garcia Pinto

 

A inflamação e a modulação da dor são duas respostas biológicas integradas, as quais atuam em conjunto após uma lesão, infecção ou doenças crônicas. Interessantemente, o processo inflamatório agudo aumenta as propriedades analgésicas dos opioides. De fato, no local da inflamação, opioides derivados do sistema imunológico são liberados com o intuito de inibir a dor de forma eficaz e facilitar a cicatrização. Ainda, já foi demonstrado que modificações no sistema opioide endógeno na medula espinhal podem prevenir a transição da dor inflamatória aguda para a crônica. Deste modo, diversos grupos têm investigado quais os transdutores inflamatórios que levam a sinalização dos receptores opioides nos neurônios aferentes primários. Recentemente, Basso e colaboradores publicaram um estudo na revista Science Signaling demonstrando que a ativação do canal TRPV1 estimulou a via de sinalização das MAP quinases (MAPK), e subsequentemente o transporte da proteína β-arrestina 2 para o núcleo. Os autores utilizaram o modelo de dor inflamatória induzida por CFA para investigar o papel do TRPV1 na regulação da analgesia opioide endógena em camundongos e observaram que a naloxona, um antagonista competitivo de receptores opioides, provocou um atraso na recuperação da hipersensibilidade induzida por CFA em camundongos selvagens, mas não em camundongos deficientes para TRPV1. Além disso, foi observado que a inflamação prolongou o efeito antinociceptivo induzido pela morfina no modelo murino de dessensibilização do receptor opioide, um processo que depende do TRPV1. Os dados do presente trabalho demonstram que a via de sinalização mediada pelo TRPV1 atua como um mecanismo endógeno de resolução da dor, promovendo a translocação nuclear da β-arrestina 2 a qual minimiza a dessensibilização do receptor µ opioide (MOR). Este mecanismo até então desconhecido, pode estar por trás do controle opioide periférico da dor inflamatória e que um desbalanço no eixo TRPV1- β-arrestina 2 pode contribuir para a transição da dor aguda para a crônica. Assim, essa interação do receptor opioide e do canal iônico TRPV1, pode ser farmacologicamente interessante na clinica para melhorar o controle da dor pelos opioides.

 

Referência: Basso L, Aboushousha R, Fan CY, Iftinca M, Melo H, Flynn R, Agosti F, Hollenberg MD, Thompson R, Bourinet E, Trang T, Altier C. TRPV1 promotes opioid analgesia during inflammation. Sci Signal. 2019; 12(575).

 

Alerta submetido em 09/04/2019 e aceito em 10/06/2019.

 


Leitura original e/ou complementar