Alerta postado em: 04/11/2019 e aceito em: 04/11/2019
 

DOL - Dor On Line

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Universidade de Brasília - Campus de Ceilândia
Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto - USP
Faculdade de Farmácia - Universidade Federal da Bahia

Principal    |    Editoriais    |    Edições    |    Sobre a Dor    |    Glossário    |    Projeto DOL    |    Publicações    |    Contato

   
 

Alerta da edição mensal

 

 

A relação entre a magnitude da dor articular e a composição da microbiota gastrointestinal em pacientes com osteoartrite de joelho

Diego Francisco de Agnelo Silva

 

A osteoartrite (OA) é uma doença articular degenerativa cujo principal sintoma clínico é a dor. Embora OA seja atribuída principalmente a fatores mecânicos e predisposição genética, os processos inflamatórios contribuem fundamentalmente para o seu desenvolvimento e manutenção.

 

Níveis elevados de endotoxina bacteriana no sangue ou no líquido sinovial de pacientes com OA estão associados a quadros clínicos mais graves da doença. Bactérias gastrointestinais produzem uma ampla gama de moléculas bioativas, das quais algumas são secretadas dentro de vesículas que podem transportar seu conteúdo para sítios teciduais distantes de seus locais de origem. Cientistas holandeses realizaram um estudo populacional para investigar a relação entre a microbiota intestinal e os níveis de dor no joelho em pacientes com OA.

 

Esse estudo de coorte populacional incluiu mensuração dos níveis de dor de 1427 participantes. O estudo relatou uma correlação positiva entre a abundância intestinal de Streptococcus spp e os níveis de dor no joelho em pacientes com OA. Essa correlação permaneceu relevante mesmo quando levado em consideração outros fatores interferentes tais como tabagismo, ingestão de álcool, uso de medicamentos orais ou o índice de massa corporal (IMC). Esse estudo sugere uma possível influência da microbiota intestinal na magnitude da dor em pacientes com OA e, potencialmente, também na dor associada a outras condições inflamatórias.

 

Referência: Boer CG, Radjabzadeh D, Medina-Gomez C, et al. Intestinal microbiome composition and its relation to joint pain and inflammation. Nat Commun. 2019;10(1):4881.

 

Alerta submetido em 29/05/2020 e aceito em 01/06/2020.