DOL - Dor On Line

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Universidade de Brasília - Campus de Ceilândia

Principal    |    Editoriais    |    Edições    |    Sobre a Dor    |    Glossário    |    Projeto DOL    |    Publicações    |    Contato

   
 

Alerta da edição mensal

 

 

A influência do uso de anti-NGF na movimentação de camundongos submetidos à fratura óssea

Mariane Pereira Matos

 

No contexto atual, a indústria farmacêutica enfrenta uma dificuldade quanto à disponibilidade de tratamentos que atenuem a dor musculo esquelética. Os medicamentos mais utilizados para este tipo de situação englobam basicamente AINEs e opioides, e ainda que melhorando a dor, possuem efeitos indesejados significativos como fatores prejudiciais à cicatrização óssea e dependência, respectivamente.

 

Se baseando em dados recentes sobre o uso do anti fator de crescimento do nervo (anti NGF – Nerve Grow Factor) como alternativa ao tratamento de determinadas dores musculo esqueléticas. O presente estudo se dedica a investigar se o uso do tratamento anti NGF influencia na atividade física de camundongos idosos, jovens ou com dor musculo esquelética relacionada a fratura óssea.

 

A partir de experimentos controlados e monitorizados, os pesquisadores observaram a não influência desse fator no aumento de atividade física de camundongos idosos e jovens sem dor de fratura óssea, demonstrando assim que a baixa atividade observada nos animais idosos ao longo do tempo, está relacionada à uma fadiga do sistema nervoso central e não ao acúmulo de NGF sistêmico.

 

Concomitante a isso, observou-se que o uso desse mesmo tratamento em camundongos submetidos à uma fratura óssea, melhorou a disposição dos roedores para atividade física entre 10 e 27%, auxiliando ainda mais na atenuação da dor músculo esquelética, uma vez que a movimentação ainda é considerada o melhor tratamento não medicamentoso para o alívio de dor e estado funcional musculoesquelético.

 

Referência: Majuta, L.A; Mitchell, S.A.T; Kuskowsk, M.A.; Mantyh, P.W. Anti–nerve growth factor does not change physical activity in normal young or aging mice but does increase activity in mice with skeletal pain. Pain. 2018; 59(11):2285-2295.

 

Alerta submetido em 28/11/2018 e aceito em 28/11/2018.

 


Leitura original e/ou complementar